Meu amor dá-me os teus lábios
Dá-me os lábios desse rio que nasceu da minha sede
Mas o sonho continua…
E a minha boca ‘até quando?’
Ao separar-se da tua
Vai repetindo e lembrando
Sei de um rio… sei de um rio

~ Pedro Homem de Melo

|Lisbon, Portugal|

Leave a Comment

%d bloggers like this: