Desta margem
D’onde o céu se abre largo
Em arco sobre o rio
A esta hora
Em que o tempo hesita e pára
Deixando-se ficar
A esta hora
Tão singular
DE mágicos torpores
Estendo os olhos
Bebo aos meus amores
E deixo-me levar
~ Paulo Gonzo – Desta margem
|Alcácer do Sal, Portugal|

Leave a Comment

%d bloggers like this: